Infinito momentâneo

          Chegou em casa e se desfez de tudo que não lhe soava bem. Tudo o que era áspero e ácido. Atirou ao chão todas as pseudoafirmações que talvez em tempos longínquos houvessem sido suas mais concretas certezas. 
          Vestiu-se de estrelas e com elas brilhou a noite de lua cheia que outrora iluminara sua silhueta em meio a tantas promessas inúteis.
          Pintou no dia que havia se deitado há muito a sabedoria que adquirira.
E jogou-se em uma outra dimensão; o seu infinito. Mergulhou no mar que mais gostava (e que tantas vezes temia): sua alma.
          Agora via-se completa. Continha em si o suficiente. A fórmula que necessitava.
          Abriu um sorriso e se lembrou o quanto era bom dar risada. 







2 comentários:

  1. Gostei muito das escolhas das palavras. Da sua performace no texto. A maneira de envolver, foi brilhante. Digna de elogios. Muito bom querida. Tenho saudades, te espero no meu blog... Com carinho!

    ResponderExcluir
  2. quase escrevendo isso na parede do meu quarto. Quase.

    ResponderExcluir

 
Explosão de vento © 2012 | Designed by Rumah Dijual, in collaboration with Buy Dofollow Links! =) , Lastminutes and Ambien Side Effects