Auto-retrato

Sempre escrevo o que penso e o que sinto, e isso é relativamente fácil para mim, mas nunca consegui me definir com palavras. E não é egocentrismo, não, porque eu estou longe de me achar indecifrável, indefinível. Até porque algumas pessoas já conseguiram expressar por meio de palavras exatamente aquilo que sou, mesmo que não fosse o que eu gostaria de ouvir.

Já faz alguns dias, talvez muitos, que venho preparando um texto com aquilo que eu, Ana Carolina Fava (e não meu "eu-lírico"), sou. Devo ser alguma coisa, porque todo mundo é alguma coisa. Mas ainda não consegui descobrir que coisa sou.
As vezes me acho perdida: meu coração, minha alma e minhas entranhas me dizem que sou isso e aquilo, e de repente minhas atitudes me provam o contrário, me fazem crer no que eu não acreditava. Me pergunto o tempo todo se o que eu faço é tão diferente assim do que eu sinto, e se ambos juntos não mostrem o que eu sou realmente. Mas, como diria um amigo meu, não faz sentido. Nada justifica.
Sou animada, gosto de festa. Mas tem hora, e isso acontece com frequência, que tudo o que eu preciso é de um travesseiro, um bom livro e meu MP4. Sou tagarela, amo conversar com os meus amigos. Mas em vários momentos o que eu quero é que todo mundo pare de falar comigo e me dê um tempo para respirar sozinha. Adoro desobedecer; a sensação de quebrar alguma regra é a mais emocionante das emoções. Mas, para a falar a verdade, eu sou mais certinha do que errada, não faço tanto esforço para cruzar meus limites. Não passo nenhum dia sem música, e acho que é muito melhor ouvir no volume máximo. Só, que como todas as coisas já listadas, com muita frequência eu prefiro o contrário: um violão tocando baixinho, ou até nada de música. Só eu e meu pensamento. (Que nem sempre é calmo.)
Não consigo ficar triste. Quer dizer, consigo. E muito me decepciono, por colocar expectativas demais em pessoas e coisas que não arcam com as tais. Mas nesse caso, a errada não seria eu? Enfim. Minha tristeza nunca dura muito, e isso me faz questionar se eu dou o valor certo àqueles que me cercam. Entretanto, tem hora que até gosto, e me acho por isso. Porque não choro com facilidade, nem deixo de sorrir atoa, mesmo quando meu mundo parece que vai desabar.
Tento sempre estar por perto para ajudar meus amigos, tento ser o ponto de equilíbrio deles. E acho que de vez em quando eu até consigo. Mas quando o problema pinta para mim, confesso que fico muito perdida. E dá aquela vontade de sair correndo, a insegurança toma conta e parece que nunca vai melhorar. O mesmo acontece com o meu coração (ou não seria com meu cérebro? Porque dizem que os sentimentos de verdade vem de lá): tem hora que ele se enche de amor e de carinho, e eu penso que amo o mundo todo. Aí passa um tempo e começo a pensar o contrário, que eu não amo ninguém e sou um poço de amargura.
Tem lógica?
Vivo nessa indecisão, tentando me encontrar, me entender. E me parecia tão simples! Parecia tão simples me definir, dizer o que sou e o que sinto! Como um todo, e não como partes separadas e únicas de um quebra-cabeça. Mas foi só eu começar a pensar nisso que cheguei à grande conclusão de que, não só a minha, mas a mente humana em geral é um grande labirinto, isso sim. Mas eu ainda vou entendê-la! Ainda vou desvendar seus mistérios e seus trejeitos, ainda vou conhecer todas suas razões e todas as suas lógicas. Ainda vou!
E até lá, continuo tentando me entender. Porque esse é o primeiro passo no caminho do entendimento universal, não?

.

10 comentários:

  1. Passando para te dar um beijo e fazer uma visitinha a esse lindo blog!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Tentar se entender, se conhecer é essencial. Mas nao se prenda a isso. Faça novas descorbertas espontaneas. Nos conhecemos melhor pelo que somos capazes de fazer pelos outros. (:
    Um beijo, postei o novo capitulo. :D

    ResponderExcluir
  3. Querida, tenho que lhe passar essa musica. Acho que vai gostar. Pensei um pouco em voce, quando a ouvi (tem haver comigo tambem). Espero que goste, espero resposta. (:

    Video: http://www.youtube.com/watch?v=iBqr9eWquF0

    Letra: http://letras.terra.com.br/wanessa-camargo/1067480/

    Beeeijao linda (:

    ResponderExcluir
  4. Voce pode chorar, mas brigue pra sorrir. ;)

    ResponderExcluir
  5. Irei ouvir, Lys! E muito obrigada pelo apoio e por toda essa atenção, você vale ouro!
    Um beeeeijo! :*

    ResponderExcluir
  6. Se entender é um processo, e quando a gente acredita que chegou lá..... descobre que tem mais mais para caminhar (ou até correr!). Beijo, Annelise

    ResponderExcluir
  7. Pois é, quando a gente para de olhar para o proprio umbigo, a gente se descobre no outro!!!! Beijo, Annelise

    ResponderExcluir
  8. Vivendo e descobrindo e questionando e interpretando e resonvendo e observando e APRENDENDO.

    ResponderExcluir
  9. É uma tarefa extreamamente complicada, se conhecer, mas é muito divertida. Sentir em cada momento algo diferente é o que torna a vida mágica, e nós faz ver quem somos. Ouuuié
    Amei :P

    ResponderExcluir

 
Explosão de vento © 2012 | Designed by Rumah Dijual, in collaboration with Buy Dofollow Links! =) , Lastminutes and Ambien Side Effects